Sr. Rocha da Internet @ 12:55

Seg, 08/02/10

 

 

Parece que a direita portuguesa saiu do armário. O que me chateia é que ninguém me avisou e aqui continuo eu nesta réplica de Louis XIV num subúrbio perto de si. A questão é que eu não compreendo muito bem o que leva a direita portuguesa a fazer uma manif. Reparem só no desconforto linguístico que é colocar "direita" e "manif" na mesma frase... Até parece que dá choque, não é?

Quer dizer, isto parece-me um bocado incongruente. Então mas não deveríamos ser nós, os arautos do rigor institucional, a assegurar o melhor e mais regular funcionamento das instituições democráticas? Não somos nós os guardiões da lógica institucional contra a anarquia das massas? Não somos nós contra a propaganda e contra-propaganda característica dos populismos mais extremistas? Pois somos. E o que é que vamos fazer? Uma manif. Não sei, parece-me - isto sem querer magoar ninguém - bastante parvo.

Se calhar era melhor aconselhar-mo-nos com a rapaziada da esquerda; levar uns keffiehs (tive de consultar o google para esta informação), uns sound bites eficazes, senão corre-se o risco de chegar lá de camisinha, camisola da Ralph Lauren e sapatinho de vela com cartazes a dizer "Senhor Primeiro-Ministro, os cidadãos portugueses estão incomodados com algumas questões que consideram ser da maior gravidade e absolutamente lesivas dos principais valores de um Estado democrático. Como tal, agradecíamos que considerasse a sua demissão para que se recuperasse a confiança dos portugueses nas instituições democráticas e nos seus políticos, em geral. Os melhores cumprimentos, os abaixo assinados".

É capaz de não ser muito visual. Isto para não dizer mais uma vez que se torna incompatível com a estética manifiana.



Whatever happened to the bright ones
posts recentes

exército lacoste

Posts mais comentados
8 comentários
Pesquisar
 
Tags

todas as tags