Sr. Rocha da Internet @ 12:33

Seg, 14/12/09

 Se é verdade que o país não está bem, também é verdade que não está mal de todo. Eu, por exemplo, estou muito bem - obrigado! - aqui nesta chaise longue na Lapa a tecer comentários que me vão surgindo em cada travo do meu Dona Flor (só fumo charutos brasileiros apesar de serem maus, mas dá sempre um ar...). A minha mente flui, portanto, languidamente como uma tarde bem passada nos estúdios da RFM em frequências ligeiras.

Olhando para a rua, assistindo ao deslize melancólico dos corpos que trabalham (oh, cruel visão neorealista), sei que as coisas não estão bem e que há alguém que sofre com tudo isto. Então, penso. Melhor, digo. Penso depois que agora não tenho tempo. Porém, para que possa transmitir alguma confiança e serenidade ao meu leitor vou colorindo o texto com motivos náuticos, sinal da minha enorme erudição de bar de hotel.

Talvez seja a altura de fazer duas ou três afirmações assertivas. Só neste país é que as pessoas passam incólumes perante a justiça. O Sr. Procurador-Geral da República é o grande responsável por esta devassa do sistema judicial, e eu já aqui tinha dito que este governo - repito - este governo tem grandes responsabilidades na condução legislativa. Porque o que importa ao cidadão comum, às pessoas lá em casa, é que a justiça não funciona.

Por outro lado, há por aí uns tantos badamecos que julgam que levantar cenários catastróficos é a solução. Esses velhos estúpidos que ocupam lugar no prime time, onde deveria estar eu porque faço parte d' A Geração. Esses cabrões filhos da puta que passam a vida a insultar as pessoas e a lançar boatos quando ainda a semana passada vi um deles a conversar de forma extremamente anónima com um conhecido meu em plena baixa.

Só neste país é que estas coisas acontecem. Depois é claro que o cidadão desconfia e não tem confiança nas instituições. Felizmente estou cá eu e os meus amigos para lembrar isso em mais um jantar neste restaurantezinho muito simpático mesmo aqui ao pé da sede do partido da velha, perdão, da Dra. Senhora Tal, onde, aliás, deveria estar um jovem empresário que fosse favorável às coisas modernas.

Posto isto, conclui-se que tal e coiso. Muito obrigado e venha o pilim.

 




Sr. Rocha da Internet @ 16:26

Dom, 13/12/09

Parece que o Dr. Pedro Marques Lopes, conhecido por ser comentador da Sic (aparentemente, segundo o i esta é a sua profissão e que eu respeito imenso), está a apostar forte em se tornar o Azeredo Lopes do comentário político.

Respeitinho!

Agora aparece alguém a criticar a crítica do Lopes e depois aparecem os cães de guarda a defender o Lopes e vamos andar nisto uma semana, como é habitual, só porque o Lopes não tinha mais que fazer na puta da vida. E ainda lhe pagam para esta merda. E o gajo aceita.

 



Whatever happened to the bright ones
Twitter
Posts mais comentados
Pesquisar
 
Tags

todas as tags