Sr. Rocha da Internet @ 13:58

Seg, 19/07/10

Aconteceu. Quem viu nem quis acreditar.

Prince já ia a meio do concerto. O Capitão Haddock contorcia-se tanto a tentar tirar areia do rabo que parecia um funky messenger armado em sexy mother fucker. Um pouco mais ao lado vimos uma cara conhecida. Que espanto! Que surpresa! Era ela, no alto do seu metro e sessenta aos saltinhos para ver se avistava a única pessoa da sua altura e que estava, curiosamente, em cima do palco. Shyznogud. Tenho a certeza. O Capitão não tinha porque estava bêbado já, que é uma coisa muito sábia para se fazer num festival de música em Alfarim - embebedar-se.

E lá estava ela quando, de repente, o grande Prince fez algo que me parece perfeitamente natural. No meio dos seus trezentos e setenta agradecimentos e declarações de amor disse "I love you, you love me and we all love God". Satisfeito, olhei com um ar jocoso para a jugulosa fanática de pretinhos. Nesse exacto momento, Prince pergunta "do you love God?". E sem que ninguém contasse, Shyznogud desata aos saltinhos a gritar "i do, i do" e começa a correr pelo recinto fora levantando uma onda de pó que não se via desde os bons tempos do Casal Ventoso. Pensei "Meu Deus, a mulher está louca". E por pura compaixão tentei segui-la para acalmar aquela histeria religiosa espontânea. Eu só pensava "ai se a Palmira vê isto...". Lá a conseguimos parar. Estava em êxtase espiritual e a cantar o kumbaya, my lord. O Capitão não se apercebeu, mas como me viu a correr também foi. Adora o desporto. Agarrámos nela e tentámos tirá-la do recinto, mas a fila para ver este degradante espectáculo já tinha para lá de três horas. Hoje, nas notícias, ninguém falou do assunto. O mito ficará entre nós.



Whatever happened to the bright ones
Twitter
posts recentes

so called fracturante

Posts mais comentados
8 comentários
Pesquisar
 
Tags

todas as tags