Aurea Mediocritas @ 15:50

Dom, 31/01/10

Os discursos do Manuel Alegre fill me up with happy!

 



“Glória aos vencidos”, costumava dizer o velho republicano Mem Verdial no final das romagens do 31 de Janeiro que se faziam no Porto durante a ditadura.

(...)

Se alguma dúvida tinha em relação a uma eventual recandidatura, o que acima de tudo me decidiu foi a obrigação de lutar com todas as forças para que as novas gerações recuperem a confiança em si mesmas, no seu futuro e no seu país. Só assim terá sentido dizer, como disse Junqueiro: “Quem diz Pátria diz República”.

(...)

Dito isto, é óbvio que, numa primeira fase, é preciso conter o crescimento da dívida e, numa segunda, diminui-lo. Tal não significa cortar o investimento público, nem abdicar do papel do Estado no estímulo ao crescimento económico e no combate ao desemprego.

(...)

É por isso que o endividamento não é uma mera questão financeira resolúvel por soluções tecnocráticas, é sobretudo uma questão cultural e cívica.

(...)

As empresas de rating, que perderam toda a credibilidade depois da crise de 2007,estão a fazer pressões inadmissíveis sobre o Orçamento português, contra as quais já reagiu, e bem, o Ministro das Finanças.

(...)

O Orçamento do Estado é elaborado e decidido pelos órgãos competentes eleitos pelo povo português e não por empresas privadas ao serviço de estratégias comerciais alheias.

 

Oh God! Spoiled for choice!




drmaybe @ 18:14

Dom, 31/01/10

 

ele quer então ser a versão PS do Cavaco?


Aurea Mediocritas @ 18:22

Dom, 31/01/10

 

Claramente o Cavaco fez escola.
Nunca há nada demasiado estupido para ser copiado.

Whatever happened to the bright ones
Twitter
Pesquisar
 
Tags

todas as tags